Imprimir Fechar
Sapiranga, 09 de dezembro de 2018
Estamos pesquisando sua consulta.
Por favor aguarde alguns instantes!
conteúdo

Sapiranga pela primeira vez na história tem seus bairros oficializados

A partir de agora, a cidade tem oficialmente 18 bairros devidamente divididos e com nomes legalizados
Redator: Guilherme Schmidt/Prefeitura de Sapiranga Fonte: Prefeitura de Sapiranga 21/08/2015

A prefeita Corinha Molling sancionou a lei que, pela primeira vez em seus 60 anos de história de Sapiranga, denomina e limita oficialmente a divisão do Município em bairros. A partir de agora, a cidade tem oficialmente 18 bairros devidamente divididos e com nomes especificados através de breve histórico. "A partir desta lei, estamos tornando oficial o mapa de Sapiranga, algo inédito e que deve facilitar a vida dos sapiranguenses", coloca a prefeita Corinha, acreditando que no início possa haver alguma dificuldade na identificação ou até na aceitação da nova divisão. "Mas é bom lembrar que o trabalho foi feito em cima de estudos e de audiências públicas abertas à comunidade no ano passado."  Eduardo Jaeger, arquiteto e urbanista da Secretaria de Planejamento responsável pela revisão do Plano Diretor de Sapiranga, afirma que, além das audiências públicas, foram buscadas informações junto à população para ver como eles se situavam dentro da divisão não oficial dos bairros. 
Onze bairros de alguma forma  já conhecidos popularmente tiveram sua legalização: Amaral Ribeiro, Centenário, Centro, Oeste, Quatro Colônias, Santa Fé, São Jacó, Sete de Setembro, São Luiz, Vila Irma e Vila Nova. A estes se somam sete novos bairros: Ferrabraz, Fazenda Leão, Horizonte, Industrial, Floresta, Itapema e Voo Livre. O único que acabou suprimido na nova divisão foi o Piquete, que acabou encampado pelo bairro Santa Fé.
Além do aspecto de legalização, a grande vantagem desta oficialização da divisão e dos nomes dos bairros será o quesito localização. A partir desta lei, os Correios poderão poderão definir a numeração com vários Códigos de Endereçamento Postal (CEPs)  ─ hoje se tem apenas um número (93800-000)  ─ que facilitará a localização de endereços. Na virada de 2015 para 2016 todos os sapiranguenses  já deverão ter em mãos os seus novos números de CEP, que serão fornecidos através de correspondência até o final deste ano.

REGULAMENTAÇÃO
A justificativa para o projeto foi a necessidade de se regulamentar a denominação e a limitação espacial dos bairros da cidade, criando identificação territorial e regulamentação que servirá no auxílio de prestação de serviços como o feito pelos Correios. Muitas das divisões dos bairros não eram oficialmente regularizadas e isso dificultava a localização de muitos endereços.
Segundo estudos da Secretaria de Planejamento, este trabalho é único desde a criação do Município em 1955. "Pesquisamos as leis municipais e conferimos que esta é a primeira vez que Sapiranga tem, em sua história, oficializados os bairros", afirma Eduardo Jaeger, arquiteto e urbanista responsável pela revisão do Plano Diretor de Sapiranga.

COMO SE CHEGOU À DIVISÃO
A nova divisão foi estudada, analisada, discutida em audiências públicas no ano passado e montada com o objetivo de facilitar a vida dos moradores de Sapiranga, já que os Correios poderão, agora, definir uma numeração com vários Códigos de Endereçamento Postal (CEPs). A aprovação na Câmara de Vereadores se deu na última segunda-feira, e a prefeita Corinha sancionou o projeto de lei que agora passa a ser a nova lei municipal número 5678/2015.
O Piquete acabou suprimido da listagem dos bairros porque não foi encontrada origem com relevância histórica como era o caso de Vila Irma e Santa Fé, além de não haver necessidade de três bairros pequenos na área onde eles ficavam.
Com exceção dos bairros Centro e Sete de Setembro, todos os outros tiveram alguma modificação nesta oficialização da nova divisão, seja uma nova nomenclatura ou área. "Na realidade, a cidade tinha muitos mapas que em sua maioria traziam diferenças de divisão e nomes de ruas. Com esta lei a cidade passa a ter um mapa oficial", coloca Jaeger. 

OS CEPs
Segundo a auxiliar administrativa dos Correios Áurea Rejane Fraga da Costa, que coordena o projeto de recodificação de Sapiranga, são previsto 1.154 novos números de CEP para Sapiranga. "Com a aprovação da lei, devemos agora encaminhar a Brasília para análise a criação destes novos códigos de Sapiranga. Uma vez aprovado, os CEPS integrarão o Diretório Nacional de Endereços, um banco de dados que contém mais de 900 mil CEP de todo o Brasil." O DNE é, segundo dos Correios, constituído de elementos de endereçamento (descrição de logradouros, bairros, municípios, vilas, povoados) e Códigos de Endereçamento Postal - CEP. É a base oficial e exclusiva dos Correios. Áurea acredita que até o final do ano Sapiranga já terá seus novos CEPs. "Vamos informar a todos através de correspondência, identificando corretamente como ficou o endereço para correspondências."   Segundo ela, esta mudança só trará benefícios à população. "Inicialmente esta codificação vai facilitar a triagem de correspondências para Sapiranga nos Correios. E, com o CEP correto, os Correios poderão encontrar os endereços e entregar  mais facilmente as remessas."
Esta identificação oficial dos bairros e os novos CEPs deverão solucionar problemas crônicos de entrega de correspondências que ocorrem pela localização incorreta ou dúbia do destinatário. Com o novo CEP e sua correta utilização, dificilmente isso ocorrerá.


A ORIGEM DOS NOMES
Os bairros da cidade de Sapiranga passam a ter denominação de acordo com sua origem conforme segue (texto discriminado conforme a lei):
– Bairro Centro: Tem a origem de seu nome associada à sua localização centralizada no mapa da zona urbana da cidade, referência também ao agrupamento da atividade comercial oriunda do desenvolvimento desta atividade aos arredores do Clube 19 de Julho.
– Bairro Oeste: Tem a origem de seu nome associada à sua localização no extremo oeste do mapa da zona urbana, originando-se ao longo da antiga estrada férrea.
– Bairro Centenário: Tem a origem do nome associada à casa centenária da família Schmidt, sendo que o primeiro nome da localidade era Bairro África, assim denominado pela ocupação por trabalhadores braçais.
– Bairro São Jacó: Tem a origem do nome associada à localização junto a estrada de acesso a Picada São Jacob, localizada ao norte da Zona Urbana da cidade.
– Bairro Sete de Setembro: Tem origem de seu nome em alusão à data comemorativa da  independência do Brasil, sendo que anteriormente se chamava Bairro Erval, ou Teewald, devido a ocupação por imigrantes vindos de Boa Vista do Erval.
– Bairro Amaral Ribeiro: Tem a origem de seu nome em homenagem a um destacado funcionário público, de nome Amaral Ribeiro, sendo ele o primeiro presidente na administração que construiu o ramal da viação férrea de Novo Hamburgo a Taquara.
– Bairro Quatro Colônias: Tem a origem de seu nome em alusão a localidade de Quatro Colônias, lindeira ao bairro, fazendo referência a sua localização.
– Bairro Horizonte: Tem a origem do nome em alusão ao primeiro parcelamento de solo, que leva este nome, ocorrido nesta localização.
– Bairro Voo Livre: Tem a origem de seu nome associado aos esportes praticados no morro Ferrabraz, lindeiro a localização deste bairro.
– Bairro Ferrabraz: Tem a origem do nome associada à alusão ao Morro Ferrabraz, que localiza-se, assim como este bairro, ao norte da rua do Travessão Ferrabraz.
– Bairro São Luiz: Nome associado ao nome do loteador da área de terras desta localidade, Sr. Luiz Gerhard, sendo que a denominação surgiu popularmente.
– Bairro Santa Fé: Nome associado ao primeiro parcelamento de solo ocorrido na região, datado do ano de 1954, denominado Loteamento Santa Fé.
– Bairro Vila Irma: Nome em homenagem à proprietária das áreas de terras desta região, Sra. Irma Venter, responsável pelo loteamento das terras ali existentes.
– Bairro Itapema: Nome em alusão ao proprietário das terras a esta localização pertencentes, da empresa Cabanha Itapema.
– Bairro Vila Nova: Nome associado à ocupação ocorrida nesta localização, denominada popularmente de Vila Nova.
– Bairro Industrial: Nome associado à ocupação destinada a esta localização, de uso estritamente industrial.
– Bairro Fazenda Leão: Nome associado à área de terras da localidade da Fazenda Leão, sendo a primeira ocupação de terras da Fazenda Padre Eterno, sendo adquirida por Manuel José Leão em 1816.
– Bairro Floresta: Nome associado ao primeiro loteamento ocorrido na região, denominado Loteamento Floresta.

voltar
Projetos
enquetes